ATD Sistemas

Givaldo reage às acusações de Dominguinhos e o tacha de ‘mentiroso profissional’

Compartilhar:
O secretário municipal Givaldo Morais (Seinfra) rebateu, nesta sexta-feira (1º), o ex-prefeito de Princesa Isabel Dominguinhos (PSDB) que, em programa radiofônico e em publicações na internet, o acusou de mentir acerca dos calçamentos na cidade.

Para Givaldo,

o ex-gestor mentiu descaradamente, ao afirmar que havia deixado recursos para a execução das obras de calçamento e não as realizou por falta de tempo.

De acordo com o auxiliar municipal, a administração tucana realizou várias licitações que foram, inclusive, anuladas pelo próprio ex-gestor.

Na verdade, Dominguinhos fez quatro licitações, ditadas pelo interesse dele próprio, que provarei, inclusive documentalmente

, disse.

Precisamente, em 11 de dezembro de 2015, o então prefeito, através do Processo Administrativo 020/2015, rescindiu, unilateralmente, a tomada de preços 001/2015, realizada em julho/2015, e que tinha como vencedor do certame, a empresa Soconstroi Ltda, em virtude da prisão de seus proprietários, na Operação Andaime, da Polícia Federal, por falcatruas em processos licitatórios, falsificação de documentos e outras irregularidades. Essa empresa tinha vários contratos com a Prefeitura de Princesa Isabel, e as investigações ainda continuam no Ministério Público Federal

, relatou.

A Prefeitura de Princesa Isabel, realizou ainda, as tomadas de preços 002/2015, em dezembro de 2015, e a 002/2016, cujo vencedor de ambas foi a empresa J. Galdino Eireli EPP, única participante nos dois certames, porém anulados por a empresa não apresentar a documentação necessária pra execução das obras de pavimentação

, acrescentou.

Por último, no mês de junho de 2016, a empresa Mendonça e Aciolli, foi a vencedora da tomada de preços 004/2016, no valor de R$ 1.429.000,00, sendo que o prefeito Ricardo Pereira anulou esse processo em janeiro de 2017 por conter várias irregularidades, e autorizou a abertura de uma nova licitação que já pavimentou mais de 22 ruas em Princesa Isabel, desde 2017

, completou.

Givaldo explicou ainda a questão da disponibilidade dos recursos federais para a execução dos serviços de pavimentação.

Essa estória de que deixou R$ 1,4 milhão em caixa é conversa fiada. Uma coisa é o recurso empenhado, consignado no Orçamento Geral da União. Outra coisa é o recurso liberado, disponível nas contas municipais. Ora, a quantia tava pra ser devolvida, porque o convênio tem validade de quatro anos e, durante esse período, nada foi feito

, ressaltou.

Ele disse ainda que, na gestão passada, era praticamente impossível realizar as obras de calçamento, por contas das inadimplências do governo tucano.

Outro empecilho à realização das obras e à liberação do dinheiro por parte da Caixa Econômica Federal eram as diversas inadimplências, isto é, o ‘nome sujo’ da Prefeitura de Princesa Isabel junto aos bancos e ao governo federal, somente sendo retiradas essas inadimplências no governo de Ricardo Pereira, que investiu mais de 300 mil na quitação de débitos pra sua regularização

, afirmou.

Assim, desafio o ex-prefeito tucano a desmentir todas as declarações que ora reafirmo, acompanhadas de documentos que atestam todas as minhas afirmações. Ele, sim, é especialista em distorcer a verdade, um mentiroso profissional. Novamente, a verdade prevalece. O povo de Princesa Isabel sabe quem, efetivamente, calçou e continua calçando ruas nos diversos bairros da cidade

, finalizou.

Abaixo, cópias dos Documentos disponibilizados pelo Secretário.

Fonte Blog do 
José Duarte Lima


Desenvolvido por: Jonas Fahelysson