ATD Sistemas

Funcionários de cemitério são detidos após derrubar ossadas humanas em rodovia

Compartilhar:

Três Funcionários do Cemitério Campo Santo São José, em Paulista, no Grande Recife, foram detidos e levados à Delegacia do município após assadas Humanas caírem de um Caminhão na Rodovia PE - 15. O caso ocorrido na quarta (13) foi divulgado na Quinta (14) de Março, pela Polícia Militar e é investigado como Criem ambiental.

Segundo a PM, Moradores da Região informaram à Corporação que havia sacos pretos com Ossos Humanos espalhados pela rodovia. Uma Equipe da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente ( CIPOMA) foi acionada e, ao chegar ao local , encontrou um Caminhão da Prefeitura enviado para recolher o Material.

Os Funcionários afirmaram que alguns sacos haviam caído do Caminhão , que estava repleto de outros sacos contendo Ossos Humanos. Eles disseram , ainda, que estavam fazendo o traslado das Ossadas até o Cemitério  onde eles seriam enterrados.

A (CIPOMA ) deteve os três Homens e os levou à delegacia de Paulista. Eles foram liberados após prestarem depoimento. 

Segundo o Comandante da ( CIPOMA) , Major Sérgio Souza, a Polícia Civil abiu um Inquérito, por meio de Portaria , para investigar o Criem de Poluição que possa causar danos à saúde Humana, previsto na Lei de Crimes Ambientais.

" O transporte  dos Ossos , em si, não estava adequado, por causa do tipo de Veículo usado, que foi um Caminhão Caçamba. Mas não foram encontrados indícios suficientes para subsidiar algum Criem por isso. Entretanto, o fato de terem deixado os Ossos caírem no chão, causando , inclusive, espanto de quem passava pelo local, configura Crime Ambiental", diz o Major.

Por meio de Nota, a Prefeitura de Paulista informa que as Ossadas faziam parte de um volume não resgatado pelos Familiares após dois anos e um dia, como determinado pela Lei. A Administração afirma , ainda , que os Servidores envolvidos no caso prestaram os " devidos esclarecimentos sobre o fato ocorrido e, na sequência , foram liberados".

O G 1 entrou em contato com a Polícia Civil para repercutir e aguarda resposta.

G 1 PE

Desenvolvido por: Jonas Fahelysson