A história da maior e mais bem sucedida operação de combate à corrupção já realizada no Brasil vai ganhar ares de Broadway. O espetáculo 'Lava jato - o musical' já recebeu autorização para captar R$ 706 mil e deverá chegar aos palcos em 2018.
Versão da montagem do texto "Arsênico e alfazema" – que já foi levado ao cinema em 1945 por Frank Capra, com o nome "Este mundo é um hospício" –, "Lava Jato - o musical" terá direção de Chris Matallo, coreografia assinada por Julita Machado e a produção coordenada por Judson Feitosa, que também será o narrador da trama. A escolha do elenco começará em breve.
"Estamos próximos de abrir audições. Sabemos o quanto é importante haver oportunidades de trabalho. Há muitos talentos por aí e queremos tê-los em nosso espetáculo pois será necessário, além de saber cantar e dançar, ser bom comediante", explicou Judson, lembrando que a intenção é apresentar o espetáculo em teatros do Rio de Janeiro e São Paulo.
Ele adiantou uma das cenas mais importantes da produção: a trama começa com a chegada do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, ao Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste da cidade. Por força da Operação Lava Jato, o ex-chefe do Executivo fluminense está detido desde 17 de novembro do ano passado, acusado de ser o cabeça de uma organização criminosa que cobrava propinas e desviava recursos públicos.
"'Lava Jato - o musical' será uma comédia inspirada no período histórico que estamos vivendo. Portanto, esperamos que o público se divirta, reflita e tire suas próprias conclusões sobre as questões atuais do nosso país. Os artistas, através de suas obras, retratam as respectivas épocas nas quais viveram. Vale a máxima de Shakespeare: 'O teatro é o espelho da vida'", finalizou o produtor.
2a600deb 81fc 4e1f bc26 0e3ed636fee7

Do G1